Bio

                       

Mario Costa

Is Mario Costa really a ‘Lesbian Man?’

First of all, who is this guy?

Mario Costa is a Brazilian Singer Songwriter, Actor and Video Director with a vast background who led him to extensive work on Music, TV, Movies and Theater.

The son of a diplomat, Mario was raised in 5 different countries and speaks 5 languages.  He joined the drama classes in his school when he was 14 and became a musician in order to supply music for his theater group, ‘Manhas e Manias’, playing and acting live on stage. His group was at the forefront of the avant garde theater scene in Brazil and won many awards. The group launched the careers of various famous Brazilian actors and directors like, Débora Bloch, Pedro Cardoso, Andrea Beltrão, José Lavigne, Chico Diaz and Márcio Trigo.

When he was 19 years old, Mario got one of the very first VCR machines in Brazil, in 1978. He immediately started to make and edit homemade videos with his friends, defining early on, his characteristic style. Many excerpts of these old recordings can be seen in his current music videos, as in ‘Presente de Grego’, for instance.

The first Los Angeles years

In 1990, Mario dropped a promising artistic career in Brazil, where he had been working in TV shows and commercials, movies, music sideman and had a recording contract with Universal Music and his rock group ‘Saga’. He moved to Los Angeles, to study music at ‘Grove School of Music’ and start from scratch with his new Brazilian American band ‘The Rio Thing.’

Unexpectedly, his trajectory took a surprising turn when he became the first announcer for the 'Cartoon Network’ in Brazil, in 1993. With a new career as a voice over talent and director, he directed the dubbing for many mainstream Hollywood movies.

Back to Brazil

In 1999, Mario moved back to Brazil to co-direct the number one TV comedy show in Brazil at the time. ‘Casseta e Planeta, Urgente.’ Two years later he had his own audio studio in Rio de Janeiro, a successful endeavor, but after 10 years in Brazil, something was missing.

The current Los Angeles years

In 2009, he moved back to the US, in another radical change, in order to go back to his roots, reclaiming music, acting and video making. In 2011, he released his first solo album, 'Total Unknown’, playing live shows in Brazil and the US to promote the CD.

Three years ago, Mario started to work in his current concept of creating himself a song/video combo for every new song release.

2019. It’s time for the follow up. ‘Lesbian Man.’

Mario says: ‘I can’t separate the two forms anymore, I was raised artistically doing music for comedy, stage or video, and I don’t really seem them as separate entities. That’s the concept of ‘Lesbian Man', an album with 10 songs and 10 videos.

Of course,  humor is a strong element in ‘Lesbian Man’, but music is still the stronger force. The musicianship in the album can be appreciated as a stand alone listening experience. The videos are extremely original and creative, always done with only a phone and close to zero production costs. Mario adds: ‘I love to work with limitations, technical, financial or logistical. It helps me define a style. If you gave me an unlimited budget and all the choices in world, I would probably be paralyzed.’

The album was produced with musicians from Brazil, United States, France, and was recorded in studios in Los Angeles, São Paulo, Rio de Janeiro and Cannes. Mario was lucky enough to have the collaboration of A list studio masters as, Renato Neto, Ricardo Silveira, Phillippe ‘Balatman’ Balatier, Grecco Buratto, Katia Moraes, J.P. Mourão, Fernando Vidal, Fabio Girão, Newton Cardoso, Zé Bruno Eisenberg, Paula Dias Costa, Flavio Bala, Scott Breadman, Marcos da Costa, Marcos Klis and Gó do Trombone. The music was mixed by Grammy Award winner, Andre de Sant’anna. A musical ‘Dream Team!’.

“Lesbian Man’ is a very original blend of Brazilian Rhythms and Original Latin Pop Bliss, using at the same time electronic tools and all acoustic settings, alternating modern sounds and traditional Bossa Nova, Cha cha cha and EDM, Faux French lines and Original Portuguese Poetry. Mario has written all lyrics and music. He also produced the album.

It would be vey hard to categorize Mario Costa’s sound. Although it is rooted on a lot of traditional Brazilian and international influences, ‘Lesbian Man’ has a completely unique ring to it. Each song brings a surprise, taking you to a new unexpected sonic field. It’s like channel surfing on a favorite list on your smart TV. Sudden turns, brand new emotions and a sensation that you never know what’s around the corner.

Who is this ‘Lesbian Man?’

He was a woman in another incarnation. He knows that pleasing them in all terrains is the key to happiness and he uses this valuable information stored in his DNA, from another life, in order to better humanity. But don’t get him wrong, he is very manly, without losing his sensitivity, he is adamant without being stubborn. He is just a very decent human being. He is very much a common man… just Lesbian… Is he alone? Are there other Lesbian Men around? Time will tell….

 

Mario Costa é realmente um ‘Lesbian Man?’

Primeiramente, quem é Mário Costa?

Mário Costa é um cantor e compositor Brasileiro, Ator e Diretor de Vídeos com grande um grade corpo de trabalho em Música, TV, Filmes e Teatro.

Filho de diplomata, Mário morou em 5 diferentes países e fala 5 idiomas.  Ele começou a fazer aula de teatro na escola quando tinha 14 de idade e se tornou músico diante da necessidade que seu grupo de teatro ‘Manhas e Manias’ tinha de produzir música ao vivo, simultaneamente tocando e atuando no palco. Seu grupo esteve na vanguarda do teatro Brasileiro na década de 80 e conquistou vários prêmios. O grupo lançou vários atores e diretores de sucesso como Débora Bloch, Pedro Cardoso, Andrea Beltrão, José Lavigne, Chico Diaz e Márcio Trigo.

Em 1978, quando tinha 19 anos de idade, Mário teve acesso a uma das primeiras máquinas de video cassette existentes no Brasil. Ele imediatamente começou a gravar e editar videos caseiros com seus amigos, num estilo bem característico. Vários trechos dessas gravações podem ser vistas em seus videos atuais, como por exemplo em ‘Presente de Grego’.

A era Los Angeles

Em 1990, Mário abriu mão de uma promissora carreira artística no Brasil, onde ele trabalhava em programas de TV e comerciais e também como instrumentista e artista, tendo inclusive gravado pela Universal Music, com sua banda de rock ‘Saga’. Ele se mudou para Los Angeles, para estudar música na famosa ‘Grove School of Music’ e recomeçou sua carreira com sua nova banda americana de sotaque brasileiro 'The Rio Thing’, com músicos como Kátia Moraes, Renato Neto, Antonio Sant’anna e Joey Heredia.

Inesperadamente, sua trajetória teve uma virada surpreendente quando ele se tornou a primeira voz oficial em português da rede 'Cartoon Network’, em 1993. Com uma nova carreira como Locutor e Diretor de Dublagem, ele dirigiu versões Brasileiras para filmes e programas da TNT, Fox, Warner, TV Globo e muitas outras emissoras e estúdios de cinema.

De volta ao Brasil

Em 1999, Mário voltou ao Brasil para co-dirigir o programa ‘Casseta e Planeta, Urgente.’ Dois anos depois, ele abriu o seu próprio estúdio de áudio, no Rio de Janeiro, um empreendimento de sucesso, mas depois de 10 anos no Brasil, ele sentiu nova necessidade de mudança.

A volta para Los Angeles

Em 2009, de volta aos Estados Unidos, ele resolveu voltar às raízes, priorizando a música, o trabalho de ator e Locutor e a produção de videos. Em 2011, ele lançou seu primeiro disco solo, 'Total Unknown’, tocando ao vivo no Brasil e nos EUA.

Três anos atrás, Mário começou a desenvolver o conceito de acoplar sua experiência de produção de audio e vídeo para o lançamento de cada música nova.

2019. O lançamento de ‘Lesbian Man.’

Mário diz: ‘Não consigo mais separar as duas formas, aprendi a fazer música num ambiente de comédia e vídeos instantâneos. Quando penso numa coisa, automaticamente penso na outra.' Este é o conceito de ‘Lesbian Man”, um disco no qual Mário produz 10 músicas e 10 vídeos.

Naturalmente, como o título já revela, o humor é um forte elemento em ‘Lesbian Man’, mas a música ainda é o elemento mais forte. A musicalidade do disco pode ser apreciada em separado. Os videos são extremamente originais e criativos, sempre gravados com um telefone e com custos de produção que se aproximam do zero. Mário acrescenta: ‘Eu adoro trabalhar com limitações técnicas, orçamentárias ou logísticas. Isso me ajuda a definir um estilo. Se eu tivesse acesso ilimitado a fundos e todas as escolhas do mundo, eu provavelmente ficaria paralizado.’

O disco foi produzido com músicos do Brasil, EUA e França e foi gravado em estúdios em Los Angeles, São Paulo, Rio de Janeiro e Cannes. Mário teve a sorte de ter a colaboração de grandes músicos como Renato Neto, Ricardo Silveira, Phillippe ‘Balatman’ Balatier, Grecco Buratto, Katia Moraes, J.P. Mourão, Fernando Vidal, Fabio Girão, Newton Cardoso, Zé Bruno Eisenberg, Paula Dias Costa, Flavio Bala, Scott Breadman, Marcos da Costa, Marcos Klis e Gó do Trombone. As canções foram mixadas por André de Sant’anna, vencedor de um Grammy. Um verdadeiro ‘Dream Team!’

‘Lesbian Man’ é uma mistura original de ritmos Pop Brasileiros e latinos, com a combinação de elementos eletrônicos e acústicos, alternando sonoridades modernas com a tradicional Bossa Nova, Chá chá chá e EDM, Falso Francês e poesia Brasileira original.  Mário escreveu todas as letras e músicas. Ele também é o produtor do disco.

É muito difícil categorizar o som de Mário Costa. Apesar da clara influência da música tradicional Brasileira e Internacional, ‘Lesbian Man’ tem uma sonoridade única. Cada música é em si uma surpresa, passeando por diferentes campos sonoros. É como mudar de canal na sua smart TV. Mudanças súbitas de direção, novas emoções e uma sensação de que você nunca sabe o que está por vir. 

Quem é este ‘Lesbian Man?’

Em outra encarnação, ele era uma mulher. Ele sabe que a chave da felicidade se encontra em conseguir agradá-las de todas as formas e ele usa essa valiosa informação embutida em seu DNA, oriunda de uma vida pregressa, para melhorar a humanidade. Mas não se engane, ele é Homem com ‘H’ maiúsculo e sem perder a sensibilidade, ele é firme, porém maleável. Ele só quer ser um ser humano decente. Um homem comum… só que Lésbico… Será ele o único? Será que haverão outros? O tempo dirá….